"capuchinho e o lobo mau"

histórias da alexia

"Com esse teu casaco vermelho pareces o Capuchinho Vermelho, miúda! Fazes-me sentir o lobo mau que te quer comer!" Desatámos a rir e em 5 minutos já estávamos no meio da mata da Fonte da Telha à procura de um espaço com vista para o mar. Íamos ver o pôr do sol, mas sentámos-nos na mantinha que tinhas levado e com o teu ar sério e esfomeado disseste que me ias foder. Fiz o ar de Capuchinho Vermelho inocente: "Não, não vais. Vou levar estes docinhos à minha avozinha", e levantei a blusa. Pus-me à tua frente, de joelhos e esfreguei as mamas na tua cara "Não vais comer os meus docinhos pois não, lobo mau?" Ficas possuído quando eu te provoco assim. Gosto ainda mais quando achas que vais ter de fazer um grande esforço para me convencer a dar uma queca.  Não sou difícil. Contigo estou sempre pronta para tudo.
A floresta envergonhou-se perante o nosso ato. Os passarinhos e as abelhas também o fazem, mas não como nós. Nunca tirei o casaco vermelho para manter a personagem, mas tu conseguiste chegar a todos os meus sítios mais deliciosos e sumarentos. Com os teus dedos descobriste como eu estava molhadinha. Fizeste questão de meter 3 dedos e fazê-los deslizar por lá até te cansares. Observavas-me com um olhar dominador e disseste que adoravas os meus gemidos de prazer. "Capuchinho, eu também tenho um doce para ti e quero que o proves", dizes colocando-te de pé e obrigando-me a ficar de joelhos à tua frente. "Vais comê-lo todo, minha querida"... Enfiaste-me o teu
pau quase todo na minha boca. Engasgo-me até às lágrimas. "É bom não é?"  Continuas a penetrar-me e eu adoro a enormidade dele. Agarras-me na cabeça para controlar e obrigar a que eu não fuja. Quando me libertas levanto-me e empurras-me até uma pequena árvore que serviu de apoio para mim. De costas para ti, levanto o casaco vermelho e disse... "Quero-te aqui dentro seu lobo mau". Fodeste-me como um animal mesmo. Um lobo esfomeado que agarra a sua presa e a come até ao fim. Sem pressas, saboreando cada centímetro, cada gemido, cada toque... O meu orgasmo estridente e descontrolado precipitou o teu e recheaste-me com o teu creme. Entretanto o sol já tinha ido embora e a tarefa de sair da floresta sem nos perdermos foi complicada...