padeirinha de aljubarrota 

No segundo mês que eu contar,

Aquele dia vai chegar.

 

O dia que inventaram para amar,

O dos namorados.

 

Vai ser mais uma repetição,

De um abandonado coração,

 

Mas posso sempre pinar,

Até ficar de calça a babar.

 

Quando a sua boca se aproxima,

Da minha humilde Vagina,

 

O pelo há de arreganhar,

E quem sabe talvez eu possa mijar.

 

Não queria ser ordinária,

Pelo menos não em publico,

 

Mas quando sou a secretária,

Não faço apenas um bico.

 

E agora para dar isto por encerrado,

Em homenagem ao mercado maroto,

 

Arranjem-me um Homem entroncado

E que tenha um grande escroto.